Isolamento e falta de atividade física podem aumentar dores crônicas em idosos

Mesmo com algumas flexibilizações, desde a segunda quinzena de março a recomendação do Ministério da Saúde é para que as pessoas evitem aglomerações, a fim de evitar o contágio nesse momento de pandemia. Essa situação, no entanto, tende a causar um aumento no sedentarismo e no sentimento de solidão, o que traz consequências negativas para a saúde, em especial dos idosos.   Segundo a médica especialista em geriatria e clínica médica do Pilar Hospital, Fabiana Weffort Caprilhone, as dores crônicas nessa população, ou seja, com duração superior a três meses, podem aumentar com a falta de atividades físicas. Além disso, a solidão pode causar e agravar quadros de depressão, o que costuma afetar a memória e muitas vezes se reflete em sintomas físicos, como as dores.   A médica afirma que o aumento das dores crônicas tem uma forte ligação com a saúde mental. O idoso, por estar mais isolado, sem contato com outros familiares, pode apresentar aumento na dor como um sinal da depressão. Por isso a importância de não abandonar as consultas com o médico assistente, pois esse profissional poderá prescrever as medicações necessárias e que irão trazer mais qualidade de vida.   De acordo com médica, as dores mais comuns na terceira idade estão localizadas:   Nos membros inferiores, principalmente quadril, joelhos e pernas.   Fabiana afirma que os idosos se beneficiam de intervenções físicas e de reabilitação e não somente de medicamentos, como acupuntura, exercícios de alongamento, pilates e musculação, por exemplo. Porém, nesse momento, um acompanhamento remoto muitas vezes já auxilia. “Os filhos e netos podem também ajudar acompanhando em caminhadas pela quadra ou dentro de casa para manter a mobilidade dessas pessoas. No caso de piora significativa, o paciente deve procurar o seu médico, sempre buscando a precaução na utilização abusiva de analgésicos e antiinflamatórios, pois pode trazer danos para a saúde nessa faixa etária”, destaca.   Prevenir é a melhor solução, cultivando bons hábitos alimentares, fazendo exercícios físicos, mesmo que em casa, utilizando a tecnologia para aproximar os familiares e mantendo uma rotina regular de consultas médicas para o bom controle de doenças crônicas que ocorrem na terceira idade.  

Check-Up previne e identifica doenças silenciosas

Estar atento aos sinais de que algo não vai bem e também manter a rotina de check-up são atitudes que colaboram na busca pela qualidade de vida. A área da saúde é bastante ampla e envolve, além da cura de doenças, as formas de evitá-las.   Caracterizada como medicina preventiva, a especialidade se dedica ao cuidado com doença ao invés de seu tratamento. Além da mudança de hábitos nocivos, como o sedentarismo, a má alimentação, o fumo e o estresse excessivo, é norteada principalmente pela realização de exames periódicos. Ao detectar problemas que se instalam de forma silenciosa na fase precoce, é possível minimizar os danos para a saúde e também ter mais chances de cura.   No Pilar Hospital, há profissionais capacitados e equipamentos de ponta voltados  para os mais variados exames, incluindo as áreas de cardiologia, neurologia, oncologia, ginecologia e urologia, entre outras. Um diferencial da Instituição é o seu complexo de saúde com serviços de apoio diagnóstico e terapêutico interligados que proporcionam a praticidade para a vida dos pacientes. Atualmente são 14 disponíveis, que trazem uma ampla gama de especialidades. Com isso, é possível conseguir um diagnóstico mais rápido e evita consultas e exames desnecessários.   Entre os serviços interligados está a Nacional Check-up, especializada em medicina preventiva. No local é possível escolher apenas uma manhã do ano para realizar todas as avaliações, consultas e exames médicos necessários. Em aproximadamente seis horas o paciente consegue fazer um rastreamento completo de fatores de risco e a identificação precoce de doenças. Além disso, a equipe multidisciplinar verifica potenciais riscos, faz correções de fatores clínicos, nutricionais e de maus hábitos e, em pouco tempo, indica ações que contribuem para a qualidade de vida.   Todos os procedimentos são feitos no mesmo local e não há necessidade de deslocamento do paciente. Os exames são solicitados pelo médico de acordo com o perfil de cada cliente, incluindo:   Idade; Sexo; Históricos familiar e de saúde.   As consultas incluem as áreas de cardiologia, ginecologia, urologia, oftalmologia e ortopedia, entre outras. São feitos exames laboratoriais, de imagem e teste de esforço.   A prevenção é a forma mais eficaz de conquistar qualidade de vida.  

Diagnosticar e acompanhar o Diabetes previne complicações

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Diabetes, a enfermidade atinge mais de 12 milhões de brasileiros. A alta incidência preocupa devido às complicações causadas pela doença que surge quando o pâncreas não produz a quantidade adequada de insulina (hormônio que regula a glicose no sangue e garante energia para o corpo) ou quando a insulina produzida não tem a sua ação adequada devido à resistência da ação desta.   O fato de uma pessoa ter diabetes a torna de mais risco para várias doenças, como: infarto agudo do miocárdio, AVC (Acidente Vascular Cerebral) e doença renal crônica. Também estudos recentes mostram alta taxa de complicações em paciente que possui COVID-19 e diabetes.   Segundo a endocrinologista do Pilar Hospital, Silvana Aniella, a doença deve ser mantida sob controle, sendo que os níveis de glicemia variam de acordo com a idade, faixa etária e outras doenças concomitantes. “Recomendamos que a pessoa mantenha as suas medicações e o seu acompanhamento de rotina, de forma que o seu tratamento esteja o mais adequado possível”, orienta.   A endocrinologista afirma ainda que muito tem se falado sobre a relação do diabetes com a COVID-19. “O que se sabe é que o diabetes não aumenta o risco de infecção, no entanto, uma vez contaminada, a pessoa tende a apresentar quadros mais graves com maior chance de óbito. O risco se relaciona também com a idade, o tempo de duração da doença e o estado do controle da glicemia”, destaca Silvana Aniella. O risco maior para os diabéticos acontece também porque esses pacientes apresentam muitas vezes outras doenças associadas e consideradas fatores de complicações, como a insuficiência renal e a hipertensão.   A médica orienta que as recomendações das autoridades de saúde sobre a prevenção à COVID-19 devem ser seguidas, como:   Higiene frequente das mãos com água e sabão e/ou uso do álcool em gel; Utilização de máscaras ao sair de casa; Isolamento social devem ser mantidos, porém, sem descuidar dos cuidados com o diabetes.   O acompanhamento aliado a uma rotina de alimentação mais saudável e à rotina de exercícios tornam a doença controlada, reduzindo os riscos e trazendo ganhos em qualidade de vida.

Pilar Hospital oferece serviço de medicina esportiva

Para quem quer começar a praticar atividades físicas, ou até mesmo atletas profissionais e amadores, a partir de agora há atendimento especializado no Pilar Hospital, que passa a oferecer o novo serviço de Medicina Esportiva. O serviço é representado pelo médico Pedro Bruno Costa Murara, especialista em Medicina Esportiva, com o apoio do ortopedista esportivo, Luis Antônio Bauer e o cardiologista esportivo, José Mauro Espósito.   Com consultas bem individualizadas e detalhistas, o objetivo da nova área de atendimento é melhorar a qualidade de vida do paciente, analisando diferentes hábitos, como alimentação, sono e capacidade física. “Existem vários fatores que precisamos analisar em cada consulta, que envolve desde pressão alta, à estrutura óssea, muscular, composição corporal, diabetes e outras fragilidades que envolve cada uma das idades e o nível de experiência em atividade física de cada pessoa. Por isso, nosso propósito é ajudar os pacientes a terem mais qualidade de vida com a prática de exercícios feitas corretamente”, explica Dr. Pedro Murara.   Para quem é voltada a especialidade?   Atletas de nível - os atletas competidores, das mais variadas idades, contam com um atendimento personalizado, voltado à melhoria de performance, adaptação de alimentação adequada, prevenção e tratamento de lesões desenvolvidas no dia a dia dos treinos.   Amadores e iniciantes - os atletas amadores e aqueles que estão começando a fazer exercícios precisam contar com um atendimento ainda mais individualizado, voltado a identificar quaisquer possíveis restrições corporais, bem como peso, doenças pré-existentes, capacidade física, muscular, cardíaca e pulmonar.   Idosos ou pessoas com doenças pré-existentes – ajuda na prevenção de quedas e no fortalecimento muscular para melhorar a qualidade de vida, como é o caso de idosos que estão em uma situação mais frágil. O mesmo ocorre com as pessoas que já têm doenças crônicas e/ou pré-existentes, pois não podem fazer toda e qualquer atividade física, é preciso adequar as orientações para cada caso e, também, o modo de praticá-la, quantidade, peso aplicado e corrigir as formas de prática, com um acompanhamento mais regular para aumentar a dose de acordo com o desenvolvimento de cada paciente.   Mulheres nas mais diversas etapas da vida - o organismo da mulher é muito diferente e precisa ser entendido como único, pois, além da nutrição, dos exercícios ideais para cada uma, ainda precisamos ter em conta a necessidade de vitaminas, as alterações hormonais e as mudanças corporais de cada fase da paciente.   O Pilar Hospital está localizado no bairro Bom Retiro e possui como característica o fato de aliar o atendimento humano com a alta tecnologia.

1 2
Newsletter
Newsletter

Assine nossa newsletter

Assine a nossa newsletter para promoções especiais e atualizações interessantes.