Novembro Azul: a importância da conscientização

O câncer de próstata é o segundo tipo mais comum da doença entre os homens. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), um homem morre a cada 38 minutos devido à doença. Isso é muita coisa, tendo em vista que as chances de cura podem chegar a 90% por meio do diagnóstico precoce. Mas por que um número tão grande, se as chances de cura em estágios iniciais são tão altas? A resposta é: no Brasil, cerca de 40% dos homens até 39 anos e 20% com mais de 40 anos só vão ao médico quando se sentem mal. Somado a isso, há o tabu dos exames preventivos do câncer de próstata, o famoso exame do toque, temido e debochado por grande parte do público masculino. A partir dessa realidade, foi criada a campanha Novembro Azul, com o objetivo de conscientizar os homens sobre a importância do diagnóstico precoce e incentivar para que cuidem mais da própria saúde. O câncer e os exames preventivos A próstata é uma glândula do sistema reprodutor masculino localizada abaixo da bexiga que tem, junto com as vesículas seminais, a função de produzir o esperma. O câncer de próstata, na sua forma habitual, só apresenta sintomas em fases avançadas, quando as chances de cura diminuem de forma drástica. Assim salienta-se a necessidade do diagnóstico precoce e, para fazê-lo, são necessários dois exames principais: o toque retal (indispensável para o diagnóstico) e o exame de sangue PSA (antígeno prostático específico, que serve de complemento para o toque retal). É sempre importante frisar que o exame PSA sozinho não tem precisão suficiente para fazer o diagnóstico e, caso seja detectada alguma alteração na glândula, outros exames podem ser solicitados pelo médico, como biópsias, que retiram fragmentos da próstata para análise, guiadas pelo ultrassom transretal. O cirurgião oncológico do Pilar Hospital, Bruno Azevedo (CRM/PR 20472 / RQE 1012), alerta que, “apesar de atingir principalmente os idosos – representando, de acordo com o INCA , 75% dos casos –, a doença pode acometer os mais jovens”. Assim, a indicação dos especialistas é que os exames preventivos sejam feitos anualmente a partir dos 45 anos (caso haja casos da doença na família) ou a partir dos 50 anos (se não houver histórico familiar). Não há forma exata de prevenir o câncer de próstata, pois o maior risco é genético. Porém, buscar uma boa qualidade de vida é sempre um bom caminho para a saúde como um todo. “Deve-se manter os exames de rotina atualizados e, na dúvida, consultar o especialista de confiança. Essa é a principal recomendação”, conclui o cirurgião oncológico. Pilar Hospital Com boa infraestrutura e equipamentos modernos e de ponta, o Pilar Hospital possui uma equipe multidisciplinar completa formada por urologistas, radioterapeutas, oncologistas clínicos e oncologistas cirurgiões, além de outros profissionais. Tudo para proporcionar um atendimento excepcional e humanizado, com ênfase nas necessidades individuais de cada paciente. O hospital conta com um moderno parque tecnológico com equipamentos como o Robô Da Vinci, que possibilita mais precisão e menor tempo de recuperação ao paciente no caso da cirurgia para tratamento do câncer de próstata, além de uma Unidade de Atendimento 24 Horas, um Centro Médico para consultas e UTI humanizada. O Pilar Hospital é situado no bairro Bom Retiro, em Curitiba, e é referência em procedimentos de alta complexidade.

Agilidade no atendimento diminui as chances de sequelas em casos de AVC

Agilidade no atendimento diminui as chances de sequelas em casos de AVC Neurologista do Pilar Hospital esclarece dúvidas sobre o acidente vascular cerebral Segundo dados do Ministério da Saúde, o AVC é responsável por, aproximadamente, 100 mil mortes por ano em todo o país. De acordo com a neurologista do Pilar Hospital, Claudia Panfilio, o rápido atendimento médico pode minimizar a chance de sequelas, por isso é importante reconhecer os sintomas da doença. Conforme a especialista, o AVC é uma doença caracterizada pelo aparecimento de um sintoma neurológico súbito, provocado por uma alteração da circulação no sistema nervoso central, seja no cérebro ou na medula espinhal. Existem duas formas de manifestação da doença: o AVC isquêmico, que é uma obstrução ou redução brusca do fluxo sanguíneo em uma artéria cerebral, causando falta de circulação no seu território vascular, e o AVC hemorrágico – uma ruptura espontânea de um vaso, com extravasamento de sangue para o interior do cérebro. “Entre os principais mecanismos associados ao AVC estão a aterosclerose, causada pelo depósito de placas de gordura nas artérias, que obstruem, progressivamente, os vasos sanguíneos, causando sua interrupção, e algumas doenças cardíacas, uma vez que produzem coágulos no interior do coração e que, se não diagnosticados e tratados, podem se descolar pela corrente sanguínea e causar oclusão nos vasos cerebrais”, afirma a neurologista. Sintomas Dra Claudia Panfilio alerta que as pessoas devem estar atentas para os sintomas que podem auxiliar na identificação da doença. Entre eles estão: fraqueza ou formigamento do rosto, perna ou braço (especialmente em apenas um lado do corpo); confusão, compreensão ou falas alteradas; modificações observadas na visão, equilíbrio, coordenação ou andar. Além disso, tonturas e dores de cabeça súbitas e intensas, sem causa aparente, também podem ser sinais de início do desenvolvimento de um AVC. Caso sejam verificados estes sintomas, a pessoa deve ser encaminhada com urgência para um hospital que possua uma equipe médica capacitada e especializada em doenças cerebrovasculares, com Pronto Atendimento. Pacientes com AVC isquêmico, o mais comum, quando atendidos até 4,5 horas após o início dos sintomas, podem ser medicados com um remédio que dissolve o coágulo e minimiza a chance de sequelas. Atendimento imediato Para minimizar as sequelas da doença é preciso que o atendimento seja imediato e eficiente. Por isso, buscar ajuda médica especializada, que consiga fazer um diagnóstico ágil e preciso, é fundamental. “Em um Pronto Atendimento especializado, como o do Pilar Hospital, a equipe está preparada para reconhecer, rapidamente, os indicativos de que o paciente pode estar sofrendo um AVC, com isso, aumentam-se as chances de tratar os sintomas e prevenir as sequelas. Além disso, ter à disposição exames, UTI e Centro Cirúrgico com a mais alta tecnologia, se necessário, auxiliam muito no tratamento individualizado”, explica a especialista. Pós-AVC Segundo a neurologista, aproximadamente 70% dos pacientes que foram acometidos por um AVC apresentam sequelas, por isso estas pessoas devem ter um acompanhamento médico constante. Em alguns casos, o paciente também deve ser assistido por uma equipe multidisciplinar (fisioterapeuta, psicóloga e fonoaudióloga), que auxiliará na reabilitação, reinserção na sociedade e na retomada das atividades de rotina. Como prevenir A evolução de um AVC está diretamente ligada a fatores de risco – cuja incidência tem se tornado cada vez maior na população –, tais como pressão alta, diabetes, tabagismo, obesidade, sedentarismo e hipercolesterolemia (quantidades de colesterol acima do normal no sangue). “Para se prevenir o AVC, as pessoas devem buscar controlar os fatores de risco citados, praticar uma atividade física e manter hábitos de vida saudáveis”, aconselha a médica.

Pilar Hospital inaugura novo Centro Médico em Curitiba

Pilar Hospital inaugura novo Centro Médico em Curitiba Curitiba, setembro de 2021 – O Pilar Hospital abrirá, no próximo dia 04 de outubro, seu novo Centro Médico. A unidade é moderna e equipada com tecnologia de ponta, visando o conforto e a qualidade no atendimento dos pacientes com consultórios médicos, unidade primária de oncologia e hematologia e estrutura para procedimentos cirúrgicos de pequena e média complexidade. A iniciativa faz parte do projeto de expansão e revitalização do Pilar Hospital, com obras previstas para serem iniciadas ainda em 2021. “Esse espaço de destaque na cidade, e tão próximo ao hospital, será muito importante para o atendimento de qualidade e segurança dos pacientes de diversas especialidades médicas. Uma das nossas necessidades no momento é expandir nossa estrutura, mas oferecendo toda comodidade que já proporcionamos no Pilar. Vimos, nesse local, uma oportunidade de aproveitar o espaço e mostrarmos toda versatilidade que dispõe um ambiente como esse, agora, abrigando nossas clínicas médicas”, explica o Diretor Presidente do Pilar Hospital, Rodrigo Milano. Para o Diretor Presidente da Hospital Care, holding administradora de serviços de saúde em que o Pilar Hospital faz parte, Rogério Melzi, os investimentos reiteram os compromissos firmados no final do ano passado. “A implementação de modelos de gestão integrada de saúde requer uma parceria sólida na busca de resultados que gerem benefícios à população em aumento de qualidade dos serviços prestados e no aprimoramento do atendimento no Estado do Paraná. O mercado de Curitiba é estratégico para a nossa atuação regional, principalmente, por conta do seu perfil sociodemográfico e pela importância da cidade como um dos principais polos de saúde do país”, conta Melzi. Primeira unidade de Hospital Dia de Curitiba fora da estrutura hospitalar O Pilar Centro Médico está localizado a poucos metros do Pilar Hospital e foi abrigado em um espaço com aproximadamente 3.000 metros quadrados de área interna e um investimento de R$15 milhões para a sua construção. O local foi totalmente revitalizado e adaptado para abrigar 35 consultórios médicos, além de alianças estratégicas com parceiros de excelência, como a unidade primária de oncologia e hematologia com atendimento ambulatorial e centro de infusão, da Oncoclínicas, que traz uma unidade para o projeto específica para o tratamento de câncer. O Centro abrigará também a primeira unidade de Hospital Dia de Curitiba fora da estrutura hospitalar, que oferecerá uma autonomia para procedimentos cirúrgicos, já que o espaço foi desenhado para melhor atender médicos e pacientes, disponibilizando estrutura e equipamentos modernos. Com isso, o Pilar Hospital expandirá também sua atual capacidade de atendimento aos procedimentos de alta complexidade. Com a implantação, foram contratados 50 novos colaboradores e o Centro Médico contará também com a atuação de cerca de 70 médicos especialistas do próprio Pilar Hospital, das mais diversas áreas, desde atendimento geral até ortopedia, oncologia, cardiologia, dermatologia, otorrinolaringologia, pneumologia, urologia, entre outras, contando com várias equipes multidisciplinares dando continuidade ao atendimento ainda mais personalizado oferecido pela instituição. O espaço contará também com estacionamento próprio, com capacidade para 50 veículos/hora, e atendimento do Centro Médico ao público será das 8h às 19h30, na Rua Paulo Graeser Sobrinho, nº 270, no bairro São Francisco, em Curitiba (PR), com atendimento particular para os principais planos de saúde.

1 2 3 49
Newsletter
Newsletter

Assine nossa newsletter

Assine a nossa newsletter para promoções especiais e atualizações interessantes.


    Política de privacidade