01/06/2021

Cefaleia: sintomas, tipos e como tratar

Uma das doenças mais comuns que temos notícia, a cefaleia atinge milhões de homens e mulheres todos os meses. Conhecida tradicionalmente como dor de cabeça, ela deve ser levada a sério e representa um sinal de que algo não está normal.

Com diversas variações, ela pode ser uma simples dor passageira ou até mesmo uma forte enxaqueca. Conhecer os sintomas e suas variações é fundamental para que ela possa ser tratada adequadamente para que a pessoa tenha uma vida mais tranquila.

Para tirar todas as suas dúvidas sobre o assunto, vamos explicar tudo sobre a cefaleia e como tratar a doença desde cedo.

O que é cefaleia?

A cefaleia é uma sensação de dor na região da cabeça e pode ter diversos tipos de intensidade e duração. Segundo a Sociedade Internacional de Cefaleia, existem mais de 150 tipos diferentes da doença.

Mesmo que muitas vezes ela seja algo mais simples, a cefaleia pode representar o sintoma de várias outras doenças. Por conta disso, o ideal é procurar ajuda médica para identificar do que se trata antes e evitar a automedicação.

Principais tipos de cefaleia

Confira quais são as variações mais comuns de cefaleia e como identificá-las:

  • Cefaleia Tensional: é um dos tipos mais vistos e é associada ao estresse. Picos de nervosismo, preocupação e até mesmo alegria podem alterar a química cerebral e deixar os hormônios superexcitados. Isso provoca uma contração muscular, que gera a dor de cabeça que muitas pessoas têm.
  • Cefaleia em salvas: ocorre em apenas um lado da cabeça e é caracterizada por períodos curtos até três vezes ao dia. É bem mais incomum e gera dores súbitas e intensas, além de provocar obstrução nasal e olhos lacrimejantes.
  • Enxaqueca: mais frequente em mulheres, a enxaqueca provoca uma dor de cabeça latejante e pode vir acompanhada de enjoo, náuseas, vômito e alterações na visão. Além disso, pode provocar aversão à luz e ao som, que intensificam os sintomas.

Tratamento da cefaleia

A procura por tratamento deve ser feita para que o médico indique qual é o tratamento mais adequado para cada caso. A utilização de medicamentos e a mudança de alguns hábitos que promovam uma vida mais saudável ajudam a manter um bom controle da doença e evitam que ela atrapalhe o dia a dia dos pacientes.

Uma das maiores preocupações com a cefaleia é o fato de que ela pode ser o sintoma de outras doenças mais graves. Por isso, a busca por ajuda profissional é essencial para descartar ou até mesmo tratar imediatamente qualquer mal que possa ocorrer.

Além de informar sobre como manter a sua qualidade de vida em dia, a CEDIP está ao seu lado para cuidar da sua saúde. Veja as nossas especialidades e saiba como manter seu bem-estar.

Compartilhe no Facebook Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Twitter
Newsletter
Newsletter

Assine nossa newsletter

Assine a nossa newsletter para promoções especiais e atualizações interessantes.


    Política de privacidade