02/10/2014

Mamografia no diagnóstico do Câncer de Mama

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o câncer de mama é o mais frequente nas mulheres – ultrapassando até o câncer de colo uterino – e representa 22% dos casos novos a cada ano. Caracterizado pelo crescimento e pela multiplicação descontrolados das células, a doença é mais fácil de tratar se for diagnosticada no início.

O exame indicado, nesse caso, é a mamografia, que aponta lesões em fase inicial, inclusive tumores ainda microscópicos (não palpáveis). Como as chances de ter câncer de mama cresce com a idade, todas as mulheres acima de 40 anos precisam fazer mamografia. Já quando há história de câncer na família, recomenda-se iniciar o screening (mamografia com periodicidade definida pelo médico) 10 anos antes do aparecimento do câncer no familiar.

Para isso, faça uma consulta com um especialista em Ginecologia. Apenas ele poderá solicitar a mamografia e exames complementares, como Ultrassonografia, Ressonância Magnética, Punções e Biópsias.

A seguir, mais informações sobre essa doença:

[bsf-info-box icon=”Defaults-exclamation-triangle warning” icon_size=”32″ icon_color=”#12a39e” title=”Grupos de Risco” title_font_color=”#12a39e”][/bsf-info-box][bsf-info-box icon=”Defaults-chevron-right” icon_size=”32″ icon_color=”#5b8ba9″ title=”Histórico familiar de câncer de mama em parentes de primeiro grau (mãe, irmã ou filha) antes dos 50 anos ou câncer de ovário antes dos 35 anos;” title_font_color=”#5b8ba9″ desc_font_color=”#888888″ css_info_box=”.vc_custom_1486650027067{margin-top: -10px !important;}”][/bsf-info-box][bsf-info-box icon=”Defaults-chevron-right” icon_size=”32″ icon_color=”#5b8ba9″ title=”Estar acima dos 35 anos;” title_font_color=”#5b8ba9″ desc_font_color=”#888888″ css_info_box=”.vc_custom_1486650038434{margin-top: -20px !important;}”][/bsf-info-box][bsf-info-box icon=”Defaults-chevron-right” icon_size=”32″ icon_color=”#5b8ba9″ title=”Primeira menstruação em idade precoce;” title_font_color=”#5b8ba9″ desc_font_color=”#888888″ css_info_box=”.vc_custom_1486650050271{margin-top: -20px !important;}”][/bsf-info-box][bsf-info-box icon=”Defaults-chevron-right” icon_size=”32″ icon_color=”#5b8ba9″ title=”Menopausa tardia;” title_font_color=”#5b8ba9″ desc_font_color=”#888888″ css_info_box=”.vc_custom_1486650058391{margin-top: -20px !important;}”][/bsf-info-box][bsf-info-box icon=”Defaults-chevron-right” icon_size=”32″ icon_color=”#5b8ba9″ title=”Primeira gravidez após os 30 anos;” title_font_color=”#5b8ba9″ desc_font_color=”#888888″ css_info_box=”.vc_custom_1486650065609{margin-top: -20px !important;}”][/bsf-info-box][bsf-info-box icon=”Defaults-chevron-right” icon_size=”32″ icon_color=”#5b8ba9″ title=”Nunca ter tido filhos;” title_font_color=”#5b8ba9″ desc_font_color=”#888888″ css_info_box=”.vc_custom_1486650076545{margin-top: -20px !important;}”][/bsf-info-box][bsf-info-box icon=”Defaults-chevron-right” icon_size=”32″ icon_color=”#5b8ba9″ title=”Longos períodos fazendo reposição hormonal;” title_font_color=”#5b8ba9″ desc_font_color=”#888888″ css_info_box=”.vc_custom_1486650104404{margin-top: -20px !important;}”][/bsf-info-box][bsf-info-box icon=”Defaults-chevron-right” icon_size=”32″ icon_color=”#5b8ba9″ title=”Exposição à radiação antes dos 35 anos.” title_font_color=”#5b8ba9″ desc_font_color=”#888888″ css_info_box=”.vc_custom_1486650085185{margin-top: -20px !important;}”][/bsf-info-box][bsf-info-box icon=”Defaults-exclamation-triangle warning” icon_size=”32″ icon_color=”#12a39e” title=”Sintomas” title_font_color=”#12a39e”][/bsf-info-box]

Apesar de afetar mais as mulheres do que os homens, é necessário que ambos os sexos prestem atenção a certos indícios. O principal é o surgimento de nódulos nas mamas. Outros sintomas incluem nódulos palpáveis nas axilas, alterações na pele, no formato e no tamanho dos seios.

[bsf-info-box icon=”Defaults-check” icon_size=”32″ icon_color=”#12a39e” title=”Prevenção” title_font_color=”#12a39e”][/bsf-info-box]

Para prevenir a doença, é importante reduzir o consumo de bebidas alcóolicas, não fumar, manter uma alimentação correta, praticar atividades físicas e controlar o peso do corpo. A amamentação dos filhos também é uma forma de diminuir o risco de contrair esse tipo de câncer.

Clique aqui e confira mais informações sobre o Câncer de Mama!

Fontes: INCA, Sociedade Brasileira de Cancerologia, Instituto do Câncer do Estado de São Paulo, Sociedade Brasileira de Mastologia e Centro de Combate ao Câncer.
Compartilhe no Facebook Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Twitter
Newsletter
Newsletter

Assine nossa newsletter

Assine a nossa newsletter para promoções especiais e atualizações interessantes.


    Política de privacidade