28/01/2016

Zika Vírus

O Zika Vírus, muito comentado pelo surto de casos no país no final de 2015, é uma doença viral aguda que pode causar Microcefalia e desencadear a Síndrome Guillain-Barré (uma doença autoimune que ataca o sistema nervoso). O primeiro surto significativo da doença ocorreu em 2007, mas somente em maio de 2015 o Ministério da Saúde registrou os primeiros casos no Brasil.

Esse vírus é transmitido pelo Aedes Aegypti, o mesmo mosquito vetor da Dengue. O Aedes possui hábitos predominantemente diurnos, mas também pode picar durante a noite, pois o mesmo ultimamente vem se adaptando ao ambiente urbano e doméstico.

Mesmo que a pessoa não apresente sintomas, ela pode estar com Zika, o que é especialmente perigoso para as grávidas. Segundo informações do Ministério da Saúde, 80% dos infectados não apresentam sinais da doença. Os 20% restantes podem apresentar febre baixa, dores nas articulações, dor no corpo, coceira, vermelhidão nos olhos, conjuntivite, náuseas e manchas vermelhas. Com menos frequência, a pessoa pode ter edema, dor de garganta, tosse e vômitos.

O problema costuma durar de 3 a 7 dias e os sintomas desaparecem de forma espontânea. Quem pega Zika Vírus, porém, não está livre de uma nova contaminação.

O vírus pode ser detectado pelo exame RT-PCR e o ideal é que seja feito entre o quarto e o sétimo dia após o início dos sintomas. A prioridade para a realização dos testes é das gestantes e de recém-nascidos com suspeita da doença.

[bsf-info-box icon=”none” icon_size=”32″ icon_color=”#12a39e” title=”As formas de prevenção do Zika Vírus são as mesmas da Dengue: ” title_font_style=”font-weight:bold;” title_font_color=”#fc8c48″ title_font_size=”desktop:18px;”][/bsf-info-box][bsf-info-box icon=”Defaults-chevron-right” icon_size=”32″ icon_color=”#5b8ba9″ title=”Fixação de telas nas janelas;” title_font_color=”#5b8ba9″ desc_font_color=”#888888″ css_info_box=”.vc_custom_1486650559510{margin-top: -10px !important;}”][/bsf-info-box][bsf-info-box icon=”Defaults-chevron-right” icon_size=”32″ icon_color=”#5b8ba9″ title=”Eliminação de possíveis focos que se encontram em recipientes com água parada;” title_font_color=”#5b8ba9″ desc_font_color=”#888888″ css_info_box=”.vc_custom_1486650566275{margin-top: -20px !important;}”][/bsf-info-box][bsf-info-box icon=”Defaults-chevron-right” icon_size=”32″ icon_color=”#5b8ba9″ title=” Utilização de repelentes;” title_font_color=”#5b8ba9″ desc_font_color=”#888888″ css_info_box=”.vc_custom_1486650573702{margin-top: -20px !important;}”][/bsf-info-box][bsf-info-box icon=”Defaults-chevron-right” icon_size=”32″ icon_color=”#5b8ba9″ title=”Redução da exposição da pele (roupas que cubram pernas e braços). ” title_font_color=”#5b8ba9″ desc_font_color=”#888888″ css_info_box=”.vc_custom_1486650579079{margin-top: -20px !important;}”][/bsf-info-box]

Ao perceber os sintomas em si mesmo ou em outros, procure ou oriente a pessoa a procurar o serviço de saúde mais próximo para obter orientações.

Fontes: Portal da Saúde do Ministério da Saúde e Agência Brasil do Governo Federal.
Compartilhe no Facebook Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Twitter
Newsletter
Newsletter

Assine nossa newsletter

Assine a nossa newsletter para promoções especiais e atualizações interessantes.


    Política de privacidade